O “quero, posso e mando” não resulta hoje e são grandes os conflitos que daí podem advir. Terá de haver ajustes nos equilíbrio das relações e o uso da vontade pura ou bruta -apesar de a tendência ser essa- será reprimido ou confrontado. Sol, Vénus e Marte em Leão são suficientes forças vitais para cada qual se sentir o centro do universo e os trígonos a Júpiter em Sagitário que perduram quase até ao final da semana são verdadeiros amplificadores do Ego – mas também da criatividade, do amor e da possibilidade de darmos tudo por tudo. Neste arranque de semana somos logo alertados para as consequências de usarmos estas energias apenas para a satisfação do amor-próprio. A Lua em Balança que deseja paz e justiça- com os planetas em Leão, nos termos próprios – faz quadratura a Saturno e a Plutão em Capricórnio o que levanta barreiras gigantescas ao exercício da vontade ou ao modelo de relação que queremos impor, inflaccionado pelos sextis da Lua a Marte e a Júpiter. São perspectivas diferentes que não se resolvem com o exercício do poder. Só uma conversa com alma, dado o trígono de Mercúrio a Neptuno é que ameniza confrontos e permite negociar a segurança que procuramos, com a Lua em Balança regente do Nódulo Norte e Mercúrio em Caranguejo.