Na primeira metade do dia, apesar dos esforços de manter a paz, a justiça das relações ou as contas equilibradas é difícil evitar o conflito entre o que seria lógico defender e o impulso para apaziguar as situações, com a Lua em Balança em quadratura a Mercúrio em Caranguejo e o Sol em Leão em trígono a Júpiter em Sagitário a exacerbar toda o força do ego, mais ainda pela presença de Vénus e Marte também em Leão e igualmente em aspecto de trígono a Júpiter mas não exactos. Somos o que somos, queremos o que queremos, desejamos o que desejamos e de preferência que todos estejam de acordo connosco. Mas esta atitude auto-centrada rapidamente é perturbada pela consciência de que não só não temos o controlo total como há imprevistos que ainda podem abalar mais o sentido de poder que queremos assumir sobre tudo e todos. Essas ameaças ao controlo que pretendemos ter das situações – e do qual depende a segurança emocional – começam a surgir pela tarde com a entrada da Lua em Escorpião e avançam para que, na madrugada de quarta feira, a sua oposição a Urano em Touro nos surpreenda com a necessidade de mudarmos de valores e abrirmos mão de certas defesas. É assim um dia em que o orgulho ou narcisismos podem ser abalados por factores externos que exigem alguma humildade e flexibilidade. O que não estiver alinhado com valores generosos e criativos vai acabar por sofrer correcção…