O coração versus a mente, o individual versus o colectivo, a paixão ou criatividade versus o impacto social, o orgulho ou amor-próprio versus a independência de espírito, o que desejamos versus as nossas responsabilidades externas são algumas das polaridades que podemos hoje sentir extremar na Lua Cheia de Aquário que se opõe ao Sol conjunto a Venus em Leão, em quincúncio desde ontem a Plutão em Capricórnio. O que estes aspectos pedem é sobretudo que alinhemos as nossas acções com o que dita o coração com base em compaixão e atenção aos outros ou à natureza que nos rodeia. Marte também em Leão está a caminho de um trigono exacto a Urano no final do mês e desde já desejamos fazer melhor e diferente. Para isso a comunicação é chave desde esta Lua Cheia em que Mercúrio em Leão faz trígono a Quiron em Carneiro- regido por Marte- e quadratura até amo final da semana a Urano em Touro.  Falar de coração aberto para sarar velhas feridas não chega, é preciso também abertura para novos valores e soluções que resolvam a tensão entre o que desejamos, o impacto que temos e as estruturas ou forças maiores que nos restringem- esta a chave do quincúncio do Sol e Venus e semi-sextil da Lua Cheia a Plutão em Capricórnio.