Continua a ser na área das relações e da medida entre o que damos e recebemos que tudo se joga. Apesar do desejo de paz temos de fazer a guerra para garantir os equilíbrios a que ambicionamos e essa guerra faz-se com lógica e com palavras, indo ao fundo das questões. Sol, Vénus e Marte em Balança são os planetas que nos fazem pôr todas atenção na defesa de relações justas mas um sesquiquadrado entre Mercúrio e Neptuno revela como é difícil conciliar o ideal com as disputas de interesse reais, tensão agravada uma quadratura da Lua em Sagitário a Neptuno. Chegar à verdade dá hoje trabalho, exige clareza de propósito e capacidade de argumentação. A entrada da Lua em Capricórnio pelo final da tarde leva-nos a querer dar forma às conquistas negociais mas não vai ser exactamente como queremos e há que estar preparado para negociar ainda mais e mesmo alterar a perspectiva do que vale a pena aceitar ou deve ser rejeitado. Isto porque todo o fim-de-semana a Lua faz conjunção a Saturno e Plutão em Capricórnio e ambição de poder e sentido de responsabilidade tem de ser revisto, facto catalizado também pela oposição simultânea de Mercúrio em Escorpião a Urano em Touro. São novos valores que se levantam e a flexibilidade é boa conselheira.