O grande acontecimento astral do dia é perspectiva de quase um mês de maior generosidade, idealismo, empatia nos relacionamentos, com a entrada de Vénus em Peixes, em sextil a Urano em Touro e a Júpiter em Capricórnio. Daqui até ao final da primeira semana de Fevereiro, esta posição de Vénus, apoiada por sextis de oportunidade aos planetas em Capricórnio, por uma conjunção a Neptuno e por um trígono ao Nódulo Norte em Caranguejo, permite olharmos amorosamente para os outros e para o que queremos construir que nos dê segurança emocional, não apenas a pedir mas também a dar. A dádiva e uma postura de grande aceitação das diferenças é a atitude sugerida por esta Vénus que vai ajudar a ultrapassar as crises do arranque do ano suscitados pelo eclipse da Lua e pela conjunção de Saturno e Plutão.

Imbuídos assim de maior tolerância e amor ao próximo, podemos hoje tratar de inúmeros detalhes do que há por fazer até amanhã, enquanto a Lua transita Virgem e faz trígonos a Júpiter, Plutão, Saturno, Sol e Mercúrio em Capricórnio. Altura ideal para orçamentar ou avaliar o que estamos  a mudar estruturalmente e cálculos financeiros e pragmáticos sobre custos e métodos. Estamos a construir uma verdade, apostados no futuro mas não podemos ser excessivamente fogosos na defesa das nossas pretensões, com Marte em Sagitário em quincúncio ao Nódulo Norte em Caranguejo. Mas o risco é minimizado pela presença de Vénus em Peixes que suaviza todos os relacionamentos.  No entanto, a oposição da Lua a Neptuno a meio da tarde faz-nos sentir mais vulneráveis porque percebemos que os perigos estão nos detalhes e nem sempre é claro como ver a floresta e não apenas as folhas..