Esta é a semana de uma potente e complicada Lua Cheia, na próxima sexta-feira, em que vamos chegar a extremos de tensão entre a verdade que queremos viver e as opções que se apresentam, com os custos e possíveis rupturas que envolvem. Por isso, desde hoje estamos a avançar para esse climax, preparando terreno para minimizar os danos, atentos aos sinais pelo caminho, abrindo mão do que for possível. Até sexta feira o Sol ainda está em Escorpião, em trígono a Quíron em Peixes a encorajar revisão dos processos de transformação em curso de forma a sarar velhas feridas existentes. Assim, até sexta devemos continuar a aprofundar oque deve e pode ser mudado nas áreas de partilha emocional, financeira, de poder e nas quais temos de “morrer” para poder renascer livres de ónus e encargos de pulsões ou dependências passadas. Na sexta o Sol vai entrar em Sagitário, em conjunção a Júpiter, dando lugar à expansão da ideia de futuro, de verdade, de caminho de crescimento e sabedoria, um conceito de poder bem diferente do de poder a que encorajou o Escorpião. No entanto, como na sexta feira é dia de Lua Cheia, esta vai estar em Gémeos, oposta ao Sol e a Júpiter colocando-nos emocionalmente instáveis face a todas as opções que vemos poder seguir lançados que estamos noutro curso ou projecto de futuro. Como Mercúrio regente de Gémeos está retrógrado em Sagitário, torna-se claro que essas opções com que temos de nos confrontar e fazer escolhas têm de ser esclarecidas, revistas, repensadas e os resultados não vão ficar logo à vista. Marte está em Peixes e vai fazer quadratura na sexta feira ao Sol e à Lua, outro sinal de que estamos a malhar em Água e que vai ser preciso ser  mais claro e firme do que apetece. Vénus vai estar até ao início de Dezembro em Balança em oposição a Urano retrógrado em Carneiro no que indica também claramente que os equilíbrios que tanto procuramos nas relações pessoais, financeiras, políticas vão ter de estoutros e para tal tem de haver cortes ou mudanças na forma agir, em revisão das iniciativas libertadoras que possamos ter tido enquanto Urano transitou directo o Carneiro. Este está em quadratura ao Nódulo Norte em Caranguejo, regido pela Lua, o que indica que todas as revisões de matéria só podem ter um objectivo: o de protegermos o nosso âmago, segurança emocional, rotinas, tradições, casa, família, nação.

Face a esta sexta-feira que se avizinha de alta tensão, o melhor é, durante a semana, ir largando carga, começando já hoje, segunda, com a Lua em Carneiro, quadrada a Saturno, depois quadrada a Plutão em Capricórnio e trígono a Mercúrio retrógrado em Sagitário, reprimindo impulsos de acção – desenquadrada das estruturas ou ordem em que nos movemos – e virada apenas para repensar a lógica que nos move. Isto já contribui para o que falta mudar até à Lua Cheia.

Fotografia de Stanley Kubrick