2022- De Junho a Dezembro:

Junho – É um mês de acção em que muitas das restrições parecem ser levantadas e em que o ímpeto de agir está amplificado. Este mês, tal como o final de Maio, tem Marte conjunto a Júpiter em Carneiro, furacões de vontade que mais facilmente são exercidos sem restrições quando Saturno entra retrógrado a 4 de Junho. Neste mesmo dia, Mercúrio fica directo a 26 de Touro em sextil a Plutão e é como se estivéssemos prontos para o exercício de liberdade que a conjunção de Venus a Urano pede de seguida, a 12 de Junho, nos 16 graus de Touro. Este ponto é um ponto importante do ano porque a conjunção de Vénus a Urano nos abre ao novo. Em termos simples, o planeta do amor e do dinheiro, das relações une-se ao planeta da rebeldia e inovação e tudo é possível – ou surpreendemos ou somos surpreendidos na casa do horóscopo onde caem os 16 graus de Touro. No entanto, só podemos contar com os desenvolvimentos na primeira semana de Agosto quando Marte e o Nódulo Norte se unem a Urano a 18 graus de Touro, com Venus em Caranguejo e a Lua em Virgem para agirmos no sentido de investir com cuidado na nossa segurança emocional doméstica ou familiar, que entrou noutro capítulo.

Mas isso será em Agosto.. Voltando ao final de Junho, é um mundo de possibilidades que se abre com Mercúrio em Gémeos a partir de dia 14, seguido de Vénus, a partir de 24 de Junho. O Solstício é dia 21 com a Lua -que rege o Sol entrado em Caranguejo – conjunta a Júpiter em Carneiro e nos impulsiona ainda mais a ter iniciativas para estarmos ” em casa” com nós próprios” mas sem fechar a porta a várias perspectivas.  Há que contar mesmo assim com alguma frustração porque Vénus está quadrada a Saturno de 15 a 23 de Junho…

Julho-O grande desenvolvimento de Julho é o ingresso de Marte em Touro no dia 5, signo onde ficará até 20 de Agosto. Determinação, objectivos a longo prazo, cuidados e paciência vêm também com teimosia ou rigidez..e o desafio é ainda maior se tivermos em conta que Urano no mesmo signo implica inovação. Assim, ou usamos Marte para mudar ou se o usamos como travão o motor não aguenta a partir do fim do mês quando entrar em órbita da conjunção a Urano. Também Júpiter perde força de acção e pede reflexão do que de facto se quer, ao ficar retrógrado a 8 graus de Carneiro a partir de dia 28 de Junho. Julho será pois um mês de preparação para esse climax do início de Agosto em que Marte, Urano e o Nódulo Norte estão conjuntos a 18 graus de Touro.

Agosto– Depois deste arranque que – só é benéfico para quem tiver as rédeas do processo de mudança- vem o resto do mês de Agosto com altas tensões já que o Sol em Leão faz quadratura a Urano na Lua Cheia de dia 12 e oposição a Saturno no fim-de-semana de 13/14, exactamente nos dias em que também Marte está ao barulho, em Touro, quadrado ao Sol e a Saturno…… Ou seja, a quadratura de Saturno/Urano que marcou 2021 continua a minar muito do que se passa em 2022, não só em Janeiro, como em Agosto como mais tarde em Outubro. Agosto é um mês difícil em que todo o cuidado é pouco para não usarmos a força a menos que tenhamos a certeza de que dominamos os processos – e de preferência que seja por uma boa causa… A partir de dia 21 Marte entra em Gémeos e a 26 Urano fica retrógrado. Vai ser preciso discutir tudo o que aconteceu e analisar as consequências com o Sol em Virgem até 23 de Outubro, equinócio em Balança com Lua, Mercúrio retrógrado e Vénus em Virgem.

Marte em GémeosMarte vai ficar em Gémeos até 26 de Março de 2023!!! Serão oito meses em que uma energia de afirmação que está bem em signos de Fogo como o Carneiro que rege de dia, ou o Escorpião que rege de noite, ou exaltado na Terra do Capricórnio, se vê a disparar em várias direcções no Ar, mutável, dos Gémeos, no que se pode traduzir em agressividade verbal, discursos contraditórios, mercados, trocas e viagens em grande perturbação. Torna-se difícil fazer planos e uma vez mais é a flexibilidade que é exigida. Há no entanto outro factor em que podemos pensar. Terminados os trânsitos dos Nódulos Lunares no eixo Gémeos Sagitário- o que reduziu toda a vida global e nos fez sentar localmente sem grandes possibloidadesde vira e com o comércio internacional também afectado, estes oito meses de trânsito de Marte em Gémeos podem talvez traduzir-se nessa opção de estar “local” agir “na vizinhança”, pensar energia e comércio ” local”, visitar o próprio país, criar redes de comunicação não globais mas de interesse local etc.. Isto implica a mudança de valores sugerida agora pelos Nódulos no eixo Touro/Escorpião e serve o propósito de Saturno e Urano em Gémeos na próxima década quando os Nódulos estiverem invertidos, primeiro em Sagitário e depois em Escorpião e Plutão já em Aquário ditando colectivamente respostas locais.

Deixando a futorologia…No final de Agosto, Urano entra retrógrado perto da Lua Nova em Virgem no dia 25 e assim fica até meados de Janeiro de 2023, tempo de reavaliar e corrigir as novas orientações de valores que tenham escapado à frustração das quadraturas de Saturno em 2021 e 2022…

Setembro– Vem Setembro e há também que ter em conta a retrogradação de Mercúrio que começa por volta de dia 10, a 8 graus da Balança, recuando até aos 24 graus de Virgem no dia 3 de Outubro quando entra directo. Durante este período de retrogradação, a conjunção com o Sol tem lugar no dia 23 de Setembro dia de Equinócio e entrada do Sol em Balança. Isto é um sinal de que apesar da presença discordante de Marte em Gémeos será mais fácil ou propício tentar negociar a resolução de conflitos pessoais ou colectivos a partir deste dia, aproveitando a interiorização dos passos dados, com Júpiter retrógrado em Carneiro que se opõe ao Equinócio e à Lua Nova em Balança no dia 25.

Outubro- No dia 3/4 de Outubro, Mercúrio directo em Virgem aproxima-se de um trígono exacto a Plutão no dia em que este entra também directo, 8 de Outubro a 26 graus de Capricórnio. Apesar de este ser um aspecto que facilitaria diálogos transformadores com o apoio dos princípios de justiça do Sol e Vénus em Balança, o facto é que desde o final de Setembro ate aos finais de Novembro, Saturno e Urano estão praticamente em quadratura- a órbita só alcança os 3 graus de distância no início de Dezembro quando Neptuno entra directo em Peixes. Assim, se por um lado há possibilidades de entendimentos, por outro há grandes oposições a esses acordos trabalhados e só quando termina o conflito é que podemos voltar a sonhar...

Também Saturno entra directo em Outubro, a partir do dia 24, a 18 graus de Aquário quadrado a Urano a 17 graus de Touro. Nesse dia, o Sol e Vénus entram em Escorpião, regidos por Marte em trânsito trânsito em Gémeos, quincúncio a Plutão. Esta é a véspera do eclipse parcial do Sol a 2 graus de Escorpião, regido por Marte oposto nesse dia à Lua em Sagitário. Marte está também quadrado a Neptuno desde 9 de Outubro e a confusão à volta de todos estes aspectos é grande. Saturno quer impor a ordem na sociedade, Urano revolta-se e pede novos valores, Sol e Vénus em Escorpião intensificam todas as paixões pessoais ou colectivas mas a afirmação desta passionalidade dispersa-se no Ar de Gémeos, dilui-se na Água dos Peixes. O eclipse do Sol no eixo dos signos fixos- Touro/Escorpião obriga-nos a definir, com a maior dificuldade o que tem de mudar profundamente na ideia de poder pessoal, politico ou financeiro que individual ou colectivamente adoptamos. Quais são os valores que Urano tem vindo a libertar em Touro que temos de, mesmo à força, tomar como nossos?

Novembro- E depois do eclipse do Sol em Escorpião no final de Outubro, temos, cerca de duas semanas depois, a 8 de Novembro, o impacto de um eclipse total da Lua a 16 graus de Touro exactamente conjunta a Urano, oposta a Sol e Mercúrio conjuntos em Escorpião, quadrados a Saturno a 18 graus de Aquário. Uma Lua Cheia cuja sombra revela tensões múltiplas nos horóscopos pessoais, nas casas ocupadas por estes signos fixos.

OS EUA– O eclipse de 8 de Novembro escurece também o dia das eleições intercalares nos Estados Unidos!!! Em causa está um terço do Senado e toda a Câmara dos Representantes poderes actualmente na mão dos Democratas mas apenas por uma margem pequena.. Para os EUA 2022 é um ano particularmente importante, em termos políticos por esta eleição e em termos astrológicos por ser o ano em que Plutão, por tês vezes vai voltar ao grau em que se encontrava no ano de 1776 quando declarou a independência da Grã-Bretanha. É o primeiro retorno de Plutão, com a actual trânsito a tocar os seus 27 graus 33 minutos natais por volta de 19 de Fevereiro,quando também Vénus e Marte conjuntos em trânsito tocam os 22 graus de Capricórnio onde Saturno e Plutão se encontravam no dia da insurreição e tomada de posse em Washington em Janeiro de 2020. A segunda passagem de Plutão no seu ponto natal é a 4 de Julho– no dia mesmo da comemoração do dia nacional americano a receber uma quadratura de Marte em Carneiro . A terceira tem lugar a 27 de Dezembro com a Lua conjunta a Saturno em Aquário e Mercúrio e Vénus nos mesmos graus sensíveis do Capricórnio acima mencionados e Mercúrio a entrar retrógrado no mesmo dia! Estes graus do retorno de Plutão dos EUA são os graus exactos mas dado Plutão ser um planeta ultra lento e passar o ano todo entre os 24 e os 28 graus de Capricórnio, podemos considerar que durante todo o 2022 os EUA estão sob o impacto do seu retorno de Plutão– o valor do dinheiro, o peso das corporações, as divisões profundas da sociedade que se salientaram com Trump e os eclipses no eixo Gémeos Sagitário – pontos onde Marte vai estar activo de Agosto de 2022 a Março de 2023…sendo por volta de 4 de Setembro de 2022 e o mês todo de Janeiro de 2023 também tempos particularmente tensos com Marte em trânsito em conjunção ao Urano natal dos EUA..para além do resto do panorama…tumultuoso..

Em Novembro Júpiter entra directo a 28 graus de Peixes, a seis graus de distância de Neptuno, regendo então Mercúrio e Venus ambos em trânsito em Sagitário, no dia 23, dia de Lua Nova conjunta ao Sol também em Sagitário. Marte estará em quadratura exacta a Neptuno e este é mais um factor de confusão entre o passado e o presente, o ideal e o possível, o global e o local. Muita aspiração e difícil concretização é o cenário deste final de Novembro…

Dezembro-No dia 8 de Dezembro uma Lua cheia conjunta a Marte retrógrado depois da oposição de Venus a Marte a 1 de Dezembro traz mais tensões, dúvidas e disputas para o primeiro plano. Júpiter deixa definitivamente os Peixes para ingressar em Carneiro a partir de dia 21 de Dezembro, num solstício que apesar da retrogradação de Marte nos faz já pensar em expandir a vontade individual e arrancar com novos projectos em 2023 mas há muito que rever como indica Mercúrio retrógrado conjunto a Vénus a 24 graus de Capricórnio e com Vénus a fazer conjunção a Plutão no último dia do ano…tal como fez no Natal que passou, e como faz na primeira semana de Março.

Vénus, símbolo do dinheiro, do amor, do equilibrio, da diplomacia – que rege o Touro -onde Urano e o Nódulo Norte passam todo o ano- e a Balança -à qual Plutão também todo o ano faz quadratura, – será o planeta que nos vai traduzir em termos pessoais as grandes reviravoltas financeiras e políticas do ano. Cuidemos da nossa Vénus… Bom ano!

Leia aqui a primeira parte de Janeiro a Junho

Escolhi a imagem de destaque a pensar em Marte em Gémeos..

E se lê estes posts com regularidade, porque não apoiar o trabalho e os custos de manutenção do site?

CONTRIBUA AQUI PARA ESTE SITE

R.I

One thought on “2022- De Junho a Dezembro:

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: